Áthor Gastronomia fala sobre a culinária árabe


Se existe uma culinária que tem fortes vínculos afetivos essa é a gastronomia árabe. Ela também é conhecida por sua conexão com a religião islâmica. “Esse povo não come carne de porco e existem algumas outras restrições, influenciando, portanto, produção dos pratos”, diz João Victor Akamine, do Áthor Gastronomia, restaurante do TCP.

A culinária árabe está em todo Oriente Médio, em diversos países do norte da África, Turquia, Síria, Líbano e Palestina. Aqui no Brasil, a nossa referência é a gastronomia trazida pelos imigrantes do Líbano e da Síria. “Quando você vai à casa de um árabe é comum encontrar muita generosidade e fartura de comida. Eles têm muito orgulho da cultura e da culinária. Como a comida remete à afeto, se quiser elogiar um árabe é só falar que o prato é parecido com o da sua mãe ou avó”, comenta João.

Em relação à culinária, o pão sempre está presente na mesa, sendo um alimento sagrado. Existem as pastas que são servidas com as refeições: babaganush e homus, por exemplo. As carnes consumidas geralmente são de cabrito e carneiro, além do peixe grelhado. Utiliza-se a carne moída em muitos pratos, como a kafta, kibe, esfiha e charutinhos.

“Essa culinária é rica em especiarias, como canela, pimenta da Síria, gergelim, azeite, trigo e grão de bico. Ingredientes do mediterrâneo também são muito consumidos, a exemplo da berinjela, cebola, tomate, ervas aromáticas e alho”, finaliza João.

50 visualizações